Uma aula modelo numa fazenda modelo

Nada como ter uma aula de campo numa fazenda modelo. Essa experiência pode ser ainda mais especial para jovens trabalhadores que, até há pouco tempo, estavam em situação de vulnerabilidade social. Essa oportunidade foi dada na última quinta-feira (22/11) a alunos do curso de Mecanização Agrícola, iniciado no dia 12 de novembro passado, na sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar-MT) em Cuiabá. O curso é resultado de uma parceria entre a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (AMPA), o Sistema Famato, por meio do Senar-MT, a Superintendência Regional de Trabalho e Emprego de Mato Grosso (SRTE-MT) e o Ministério Público do Trabalho 23ª Região.

O grupo visitou a Fazenda Modelo, uma área de 4.350 ha no município de Campo Verde (a 130 km de Cuiabá), onde pode ver in loco o beneficiamento do algodão, conferir de perto colheitadeiras, plantadeiras e implementos de última geração e ouvir a experiência de quem lida diariamente com o agronegócio. “Vamos levar esse aprendizado para a vida toda”, afirmou o campo-grandense Elvis Maycon de Souza, 22 anos, que trabalha como aprendiz de mecânico desde a adolescência e é um dos mais comunicativos da turma.

“Agradeço o carinho de todos. Estou muito feliz”, comentou Cláudia Fabiana Marques de Oliveira, 19 anos, uma das três moças do grupo de jovens aprendizes, logo após a demonstração de análise de solo, que foi a última atividade do dia. Ela disse que ficou muito impressionada com as máquinas agrícolas da Modelo. “Quero trabalhar com máquinas, mas também gostei muito das explicações sobre solo”, disse Cláudia, uma das mais animadas com o curso. Um pouco mais retraído, o alagoano José Lucas do Nascimento, 18 anos, que trabalha desde sete anos na lavoura de cana-de-açúcar e veio para Mato Grosso em busca de trabalho, parece ter consciência de que está tendo uma oportunidade especial de se qualificar: “Cada dia a gente vai aprendendo mais neste curso. Com fé em Deus, a gente consegue tudo”.

Bons exemplos para isso não faltaram na aula de campo da Fazenda Modelo, da qual os jovens aprendizes participaram sob a supervisão da professora do módulo “Manejo na Cultura de Algodão e Boas Práticas Agrícolas”, Tânia Regina de Oliveira, da orientadora do Senar-MT, Lílian Campos, e da gerente institucional da AMPA, Giana Benatto Ferreira. O grupo foi recepcionado por Júnior Zanetti, administrador da fazenda, que deu uma aula de empreendedorismo e agronegócio.

 “O Brasil vai ser o celeiro do mundo e é visto pelos demais países como uma grande oportunidade”, afirmou numa referência às condições (disponibilidade de terras agricultáveis e de água, clima favorável o ano inteiro) que fazem do Brasil – e, em especial, de Mato Grosso – um campeão na produção de algodão, soja, milho e carne bovina. “Mas a oportunidade não cai do céu. A gente tem que buscar. A agricultura oferece uma oportunidade gigante, a fazenda é uma porta de oportunidades, mas você tem que focar e se dedicar ao que faz. Não construa uma carreira pensando no salário, pois ele é a consequência do seu trabalho. Seja apaixonado pelo que faz, corra atrás de qualificação”, exortou o empresário, que administra a fazenda de sua família desde 1999 e se diz totalmente apaixonado pelo que faz.

Em sua recepção à turma de jovens aprendizes, Zanetti destacou o exemplo de um funcionário, Edelmon Ribeiro Diamantino, que começou a trabalhar na Modelo em 2001 “capinando a lavoura de algodão” e hoje é “o melhor operador de máquina da fazenda”.  Logo depois, o grupo foi apresentado pelo gerente Marcelo Alves ao próprio Edelmon que pilotava um pulverizador imponente. Natural de Guiratinga (MT), Edelmon, 29 anos, contou que se esforçou muito para superar desafios como o uso do GPS agrícola e está sempre fazendo cursos e treinamento. “A gente é capaz de tudo e tudo que você souber fazer ainda é pouco”, ensinou o colaborador aos alunos do curso de Mecanização Agrícola. Em suas andanças pela fazenda Modelo, o grupo recebeu toda a atenção da equipe coordenada pelo gerente Marcelo: Waldiney de Oliveira, Ricardo Beloto, Rafael Ribeiro Gonçalves e Gelson Dobler.

 

Parceria– O curso de Mecanização Agrícola visa a reinserção no mercado de trabalho de 22 trabalhadores encontrados em situação de vulnerabilidade social pela SRTE-MT. O curso vai durar oito meses e conta ainda com a parceria de empresas associadas à AMPA (Grupo André Maggi, SLC Agrícola, Girassol Agrícola, Grupo BDM, São Caetano, Grupo Pinesso e El Tejar) que estão contratando os trabalhadores selecionados como aprendizes nesse projeto-piloto.   

Após a conclusão das etapas iniciais de aprendizagem, os jovens terão a oportunidade de aplicarem e aperfeiçoarem seus novos conhecimentos numa fazenda de algumas dessas empresas. A parceria da AMPA com a SRTE-MT e o MPT 23ª Região no projeto de qualificação Ação Integrada é fruto da preocupação dos produtores de algodão com o trabalho responsável e a responsabilidade social. Essa parceria de sucesso conta agora com o reforço do Sistema Famato e do Senar-MT.

Relacionadas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

AMPA - Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão
Rua Engenheiro Edgard Prado Arze, 1777 - Ed. Cloves Vettorato - 2 andar Quadra 03 - Setor A - Centro Político Administrativo
CEP: 78049-015 - Telefone: (65) 3925-1800

Cuiabá - Mato Grosso - Brasil

English English Portuguese Portuguese Spanish Spanish